4 Erros Mais Comuns que as Startups Cometem

Todos cometemos erros ao abrir uma empresa. Por vários motivos, tendemos a fazer muito ou muito pouco ao desenvolver a base de nossos negócios. Vamos ser honestos, trabalhar para tornar um novo negócio bem-sucedido é muito trabalhoso. Às vezes, você esquece algo muito importante ou pode começar a perder o foco conforme o tempo avança. Selecionamos os erros mais comuns ao criar startups:

1 – Não ter um plano de entrada com clareza e foco

Conduzir análises rigorosas que desafiam suas estimativas iniciais para entrar no mercado são muito importantes para documentar a trajetória para lucratividade, principalmente para as startups B2B. Essa análise requer uma compreensão profunda dos pontos fortes e fracos dos concorrentes e, acima de tudo, determinar a vantagem proprietária da empresa em cada segmento de mercado que procura entrar.

Também é importante estar disposto e ser capaz de mudar os negócios conforme as tecnologias ou as necessidades do cliente mudar também. E embora a adaptabilidade seja importante, sempre conduzir sua empresa para foco dela principal é crucial. Por exemplo, se seu mercado prioritário é tecnologia em mobiles, não participe de eventos para  computadores. Como uma startup, seus recursos são limitados, portanto, concentre tudo no foco para obter o máximo impacto.

 

2 – Não entender seu mercado e público-alvo

Um erro comum do ínicio das startups é não usar um tempo para entender o mercado ou os clientes para os quais você está construindo o negócio. Não há como saber se você está no caminho certo a menos que você esteja constantemente recebendo feedback de clientes atuais ou potenciais. É importante reconhecer que criar um ótimo produto nem sempre se traduz em um produto de sucesso, principalmente se o público alvo não gostou ou não entendeu ele. Ouvir feedback de várias pessoas, e usar essas informações, são vitais para a saúde da sua startup. E este processo não é exclusivo para o ínicio da startup, é algo para ser feito durante todas as fases e tamanhos de uma empresa.

 

3 – Não ser flexível com sua ideia

Não fique tão preso à sua ideia a ponto de não querer se dobrar um pouco para garantir o sucesso do seu negócio. Ter a atitude individualista, não aceitando as opiniões de externas, não funciona no empreendedorismo. Às vezes, a ideia inicial que você teve simplesmente não funciona. Quando for esse o caso, você deve estar disposto a se adaptar para fazer seu negócio progredir. Ser teimoso só vai fazer você perder dinheiro e tempo tentando levar adiante uma ideia que não tem chance de sucesso.

Quando sua ideia original não funcionar, você precisa determinar qual é o melhor curso de ação para tornar seu negócio bem-sucedido. Existem muitas empresas de sucesso hoje que se desviaram de seu conceito inicial, quando não tiveram sucesso. Eles colocaram sua ideia em um novo mercado ou redesenharam seu conceito para que fosse demandado por seus público-alvo. Portanto, você deve estar disposto a abrir mão do que não funciona.

 

4 – Correr para levantar capital sem metas claras

O capital está em toda parte. Mas isso não significa que toda startup deve se apressar para levantar fundos. A velocidade é importante, sim, mas equilibre a velocidade para encontrar o encaixe ideal para sua startup. Seu relacionamento com o investidor será semelhante a um casamento. Então, dedique tempo suficiente para encontrar a combinação certa – não pule na primeira oportunidade. Além disso, é comum startups não terem uma ideia sólida no seu plano de negócio, e estar em um estágio em que o investimento ainda é muito arriscado.

Encontre um parceiro de investimento que acredite no propósito da startup e dedicará tempo para fornecer orientação e mentoria com atenção. Ter metas claras e não atropelar o processo de empreendimento pode resultar em uma parceria sólida que trará benefícios à medida que sua empresa for crescendo.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn